A farmácia compra matéria prima para suas atividades de manipulação com ICMS Substituição Tributária e tem um código específico que é necessário para efetuar a compra, sem o qual não consegue comprar. Como as farmácias magistrais devem proceder?

Neste contexto, a compra de matéria prima continuará a seguir as regras de substituição tributária, onde o ICMS Substituição Tributária é pago na entrada da matéria prima no estabelecimento adquirente do produto. Anteriormente à vigência da nova Lei do Supersimples, este ICMS Substituição Tributária era creditado da partícula do ICMS constante da alíquota do SIMPLES NACIONAL do Anexo I. Tendo em vista que a partir da vigência da nova Lei a atividade de manipulação foi classificada como serviço e, por conseguinte, tributada pelo anexo III (de serviços), o custo do ICMS Substituição Tributária  deve ser incluído no planejamento de formação do preço final do produto manipulado, uma vez que no atual Anexo III não temos a partícula do ICMS, mais sim a inclusão do ISSQN. Do ponto de vista estadual o ICMS Substituição Tributária continuará sendo exigido pelo Fisco Estadual.

  • Tem outras dúvidas? Confira a resposta para suas perguntas em nosso site. Acesse: Área do Associado >> SAA >> Dúvidas Frequentes Nova Lei Supersimples
  • Entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Associado para outros esclarecimentos ou agende um horário em nossos plantões jurídico e contábil: (11) 2199-3499
  • Planeje sua contabilidade: Área do Associado >> Educação Continuada >> Finanças >> Planejamento Tributário
  • Acesse a Lei Complementar 147/2014

Fique por dentro
RECEBA INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS DO MERCADO MAGISTRAL

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.