A Prescrição Farmacêutica para medicamentos manipulados foi tema de discussões em Maringá e Curitiba, no Paraná, nos dias 21 e 22 de novembro.  O evento promovido pelo Núcleo Ello Magistral de Maringá em parceria com o Conselho Regional de Farmácia do Estado abriu espaço para um amplo debate sobre o assunto.

O objetivo era reunir uma série de propostas dos profissionais e levar sugestões para a SESA – Secretaria de Saúde do Estado, setor de Vigilância Sanitária Estadual, a fim de contribuir com a Minuta Técnica que a entidade deverá lançar em breve, a qual regulamentará a prescrição farmacêutica em medicamentos manipulados. Os encontros sobre a prescrição também têm sido um momento para os Farmacêuticos discutirem a resolução do CFF (586/2013) e sanarem suas dúvidas.

Em Maringá, o encontro reuniu farmacêuticos do Ello Magistral – Núcleo Setorial das Farmácias de Manipulação de Maringá e representantes das 16 farmácias de manipulação local e a farmacêutica Izaura Alves de Souza – da Vigilância Sanitária Municipal, para juntamente com a Presidente da Anfarmag – Regional Paraná, Cleunice Fidalski, o vice presidente do CFF, Valmir de Santi, a presidente do CRF-PR, Marisol Dominguez Muro e o presidente eleito, Arnaldo Zubioli tratarem do assunto.

“A partir dessa publicação, estamos aptos a prescrever medicamentos isentos de prescrição médica. Mas iniciam-se aí as dúvidas que caminham no dia-a-dia, na rotina do profissional dentro do estabelecimento farmacêutico”, preocupa-se Karen Janaina Galina, coordenadora do Núcleo Ello Magistral. “Por se tratar de um assunto novo, as dúvidas são muitas e para que possamos adquirir uma carga de informações técnicas fundamentais para fazermos tornar realidade a prescrição farmacêutica, o diálogo e o debate são necessários”, continuou.

Já no dia 22, o tema foi discutido em Curitiba com a presença das Farmacêuticas da Vigilância Estadual – Jussara Serrato e Linamara Correa, além da Diretoria do CRF-PR, Anfarmag e o Cassiano Correr.

Para a presidente da Anfarmag – Paraná, Cleunice Fidalski, a prescrição farmacêutica veio para acabar com a figura da ilegalidade e autorizar o farmacêutico a indicar um medicamento isento de prescrição médica, documentando e assinando pelo seu ato. “O farmacêutico é um agente fortalecedor da política do uso racional de medicamentos.”

Os questionamentos colhidos nas duas reuniões serão reunidos em um documento e encaminhados para Visa Estadual em forma de sugestões para contribuir com a Minuta Técnica.

Fique por dentro
RECEBA INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS DO MERCADO MAGISTRAL

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.