Para garantirem a qualidade de seus procedimentos internos e externos e, consequentemente, estarem de acordo com a legislação vigente, as farmácias de manipulação precisam seguir uma série de protocolos e exigências técnicas, entre elas a autoinspeção. A Resolução – RDC nº 67/2007, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que dispõe sobre as Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais (BPMF), define a autoinspeção como “um recurso apropriado para a constatação e avaliação do cumprimento das Boas Práticas”.

As autoinspeções nas farmácias de manipulação devem ser realizadas no mínimo uma vez por ano e suas conclusões precisam ser devidamente relatadas, documentadas e arquivadas. É com base nesse relatório que a farmácia estabelece as ações corretivas necessárias para garantir o cumprimento das BPMF. A realização e supervisão desses procedimentos é de responsabilidade do farmacêutico e precisa ser guiada a partir do roteiro de inspeção definido pela RDC nº 67/2007.

4 benefícios da autoinspeção em farmácias de manipulação

A autoinspeção não deve ser compreendida apenas como um compromisso burocrático das empresas, mas sim como um instrumento estratégico que pode contribuir para impulsionar a Gestão da Qualidade da empresa e a expertise da equipe. Diante desse cenário, a autoinspeção torna-se uma importante aliada na potencialização da farmácia de manipulação como negócio. Conheça alguns benefícios:

A RDC nº 67/2007 é uma norma da Anvisa, órgão responsável por inspeções e fiscalizações sanitárias que têm como objetivo adotar medidas de orientação e correção de situações que possam causar danos à saúde da população. As inspeções fazem parte de uma rotina estabelecida conforme solicitações de concessão, alteração ou renovação de licença de funcionamento da farmácia de manipulação.  As inspeções também podem ser realizadas a partir de denúncias de irregularidades. Seja qual for a situação, as visitas dos fiscais não têm data e hora para acontecer. Para evitar que a surpresa se torne desagradável, é importante que a farmácia esteja sempre a postos e mantenha a documentação necessária separada e organizada. Entre os documentos solicitados está o relatório da última autoinspeção realizada, acompanhado das conclusões e ações corretivas realizadas.

Benefício: a farmácia evita receber infrações nos casos em que a autoridade sanitária constatar ausência do procedimento de autoinspeção.

Caso a farmácia de manipulação não apresente à Vigilância Sanitária o relatório de autoinspeção, nem as melhorias apontadas no documento, o órgão pode gerar autuações, multas e interdições. Como profissional responsável pela autoinspeção, o farmacêutico também pode ser convocado pelo Conselho Regional de Farmácia (CRF) para prestar esclarecimentos junto ao Comitê de Ética. A realização da autoinspeção e o cumprimento de suas orientações, portanto, evitam dores de cabeça futuras com os órgãos reguladores.

Lembre-se de que da farmácia de manipulação só será solicitada a última autoinspeção, realizada dentro do período de um ano. No entanto, a RDC nº67/2007 recomenda a realização de mais de um processo anual. A periodicidade é definida pelo farmacêutico de acordo com a disponibilidade da equipe e/ou necessidade interna. Recomenda-se que seja realizada sempre que for identificada alguma irregularidade nos procedimentos internos, mesmo que de baixo impacto.

Benefício: a autoinspeção permite à farmácia constatar processos e procedimentos que apresentem desvios reais ou potenciais e prepare um plano de ação na forma de ações corretiva, o que trará segurança sanitária para produtos e serviços.

Aproveite a atividade de autoinspeção para conhecer melhor a sua farmácia como negócio. Quais são as potencialidades da empresa? No que é possível melhorar? Será necessário investir mais em infraestrutura e em qualificação de pessoal para desenvolver as ações corretivas e evitar contratempos nas próximas inspeções e autoinspeções? Entenda esse momento como sendo uma jornada de autoconhecimento do gestor da farmácia e de sua atuação nos próximos passos.

O relatório gerado deve ser avaliado cuidadosamente. Não se atenha apenas aos pontos a serem melhorados. Todas os dados e informações precisam ser lidos e interpretados com atenção, pois podem ser aproveitados estrategicamente em outras contextos da empresa.

Portanto, aproveite e utilize a autoinspeção como ferramenta de aprimoramento de processos, pessoas e sistemas e o inclua em seu planejamento estratégico como fonte de informação para planejar suas ações em curto, médio e longo prazo.

Para a realização da autoinspeção, recomenda-se utilizar o roteiro de inspeção padrão desenvolvido pela Anvisa. O documento contempla diversas particularidades da rotina da farmácia, como sua infraestrutura, controle de qualidade, atuação do Recursos Humanos, procedimentos de limpeza e higiene, registros e manutenção de equipamentos, armazenamento e manipulação de matérias-primas, atividades e substâncias manipuladas etc.

Conhecer bem o roteiro, as particularidades dos processos internos, identificar falhas e corrigi-las de forma eficaz são passos importantes para garantir tranquilidade na visita dos órgãos fiscalizadores.

Associados Anfarmag participam do Programa Personal Quality  

Autoinspeção Orientada é um dos serviços oferecidos pela Anfarmag para aprimorar a gestão da qualidade do estabelecimento e integra um grande programa anual de acompanhamento da gestão da qualidade da farmácia e no qual ela realmente aprende a utilizar essa ferramenta como suporte ao planejamento, o Personal Quality (PQ). Além disso, o programa também é uma fonte de dados para a entidade promover políticas de capacitação e aprimoramento do setor magistral. O benefício é exclusivo para os mais de oito mil associados, que têm em mãos uma poderosa ferramenta para transformar um procedimento legal em oportunidade estratégica para o negócio.

Na Autoinspeção Orientada, a farmácia de manipulação conta com o apoio de um especialista credenciado pela Anfarmag, que irá auxiliar o farmacêutico ou responsável pela qualidade dos processos internos no gerenciamento e na execução dessas atividades. Durante o procedimento, o profissional especializado destaca os pontos fortes e os focos de melhoria. Ao fim, a farmácia recebe um relatório para controle, válido para cumprimento da RDC 67/2007.

As informações geradas permitem o uso estratégico e a tranquilidade da equipe da farmácia de manipulação para receber os agentes sanitários nas inspeções anuais e pontuais.

Serviços para a gestão da qualidade

O Programa Personal Quality e a Autoinspeção Orientada não são os únicos benefícios que o associado da Anfarmag tem à disposição para potencializar a Gestão de Qualidade da sua farmácia de manipulação. Eles também fazem parte do Programa Nacional de Qualificação de Fornecedores (que disponibiliza acesso a relatórios de auditoria, otimizando tempo na hora de selecionar os parceiros comerciais) e do Programa de Controle de Qualidade de Produtos (para simulação de orçamento e negociação de preços junto aos laboratórios credenciados, envio de cronograma anual de amostras, apoio do sistema e da equipe Anfarmag nas checagens de amostragens e em casos de dúvidas e não conformidades da amostra).

Agenda Anual da Qualidade (com todas as datas dos compromissos legais), os fluxogramas de gestão e as fichas de referência e de especificação de compras de insumo são outras ferramentas que compõem a rede de vantagens exclusivas dos associados. A Anfamarg também oferece serviços ligados à Gestão do Negócio, aprimoramento profissional e facilidades do dia a dia. As soluções inovadoras em Gestão da Qualidade e os demais benefícios exclusivos para os associados estão disponíveis no site da Associação.

Para se tornar um associado, acesse a página de inscrição ou entre em contato pelo telefone 4003-9019 ou WhatsApp (11) 97554-0423.

Fique por dentro
RECEBA INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS DO MERCADO MAGISTRAL

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.